Display

domingo, 26 de setembro de 2010

BIPOLAR

Muitos ruídos que nos incomoda não vem do ambiente exterior, e sim, são ruídos internos. São as preocupações diárias, os problemas familiares, econômicos, relacionais. Preocupações estas, que chega ao nível de nos devorar interiormente deixando-nos numa situação de total perda de controle sobre elas.

Podemos nomear esse vulcão interior de ansiedade. A ansiedade pode decorrer de fatos naturais ou pode ser patológica.

Quando o quadro é patológico recebe várias denominações. Hoje vamos focalizar o quadro bipolar ou maníaco-depressivo.

O bipolar se apresenta num estado de euforia e o depressivo em tristeza.
Em ambos os casos ocorrem a autodepreciação, isto é, o indivíduo se sente sem valor, desamparado e acredita que a vida não tem valor.

Veja o que trás o site da psicoweb http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?sec=26&art=367

“O Transtorno Afetivo Bipolar (TAB), também conhecido como Transtorno Bipolar do Humor (TBH) ou, antigamente, Psicose Maníaca Depressiva (PMD), é umas doenças relacionadas ao humor ou afeto,classificada junto com a Depressão e Distimia. O TAB se caracteriza por alterações do humor, com episódios depressivos e maníacos ao longo da vida. É uma doença crônica,grave e de distribuição universal, acometendo cerca de 1,5% das pessoas em todo o mundo.


O TAB é considerado uma doença psiquiátrica muito bem definida e, embora tenha um quadro clínico variado, é um dos transtornos com sintomatologia mais consistente na história da psiquiatria. Sua forma típica (euforia-depressão) é bem caracterizada e reconhecível, permitindo o diagnóstico precoce e confiável.


Normalmente sentimos alegria, tristeza, medo, ousadia, energia, desânimo, eloqüência, apatia, desinteresse, enfim, em diversos momentos de nossa vida, com maior ou menor intensidade uma grande variedade de sentimentos são experimentados. De modo geral, é normal a pessoa ficar alegre com uma promoção no emprego, com uma conquista amorosa, nascimento de um filho e outras situações agradáveis. Assim como se espera, também, que a pessoa normal experimente tristeza e sofrimento depois de um rompimento amoroso, com doença ou morte de pessoa querida, com a perda do emprego, dificuldades financeiras, etc.



Resumindo, em situações normais o estado de humor ou de ânimo deve variar ao sabor dos acontecimentos da vida e de acordo com a tonalidade afetiva de cada um. Essas respostas emocionais podem ser adequadas e proporcionais aos estímulos externos, que são as vivências, ou desproporcionais e inadequadas. Neste caso, em resposta aos estímulos internos, que são as oscilações do humor ou alterações afetivas.


No DSM.IV são classificados dois tipos de TBH. O Tipo I, onde a maioria dos episódios de alteração do humor são do tipo euforia e o Tipo II, ao contrário, ou seja, as maiorias dos episódios são depressivas”.


Portanto, todos os ruídos interiores são tratáveis através da psiquiatria e psicoterapia.

Um comentário:

Alessandra disse...

Gostei do seu blog...
Parece um pouco com um dos que eu tenho. Como diz meu amigo parece com a revista "Super Interessante".
Tem um pouco de tudo. Nada vulgar, apenas construtivo.
Parabéns!!!
Abraços.
Alessandra