Display

sábado, 31 de julho de 2010

CIGARRO



(Foto - crédito Celina Missura)


(Texto extraido do site www.terra.com.br)

Diante dos prejuízos que o tabagismo causa à saúde, aumentando inclusive o risco de um ataque cardíaco, o melhor que os fumantes têm a fazer é abandonar o vício. Sabe-se, porém, que esta não é uma tarefa tão simples assim e requer muita disciplina e força de vontade.

Para ajudar as pessoas que querem parar de fumar, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) divulgou 10 recomendações desenvolvidas pela psicóloga Silvia Ismael, diretora do Centro Psicológico de Qualidade de Vida. Confira.

1 – O primeiro passo é o fumante se conscientizar sobre o mal que o cigarro traz à sua própria saúde e à saúde das pessoas com as quais ele convive.

2 – Decisão tomada, reduza gradualmente o consumo de cigarros, durante uma semana, observando aqueles que você pode eliminar de imediato, como o cigarro após o café, assistindo televisão e antes de dormir.

3 – Uma medida que pode ajudar é marcar na agenda um dia para parar de fumar definitivamente e ir reduzindo a quantidade de cigarros até lá.

4 – Para aliviar a tensão causada pela falta do cigarro, procure ter à mão uma garrafa de água, cravo, canela em pau, cristal de gengibre ou cenoura.

5 - No dia marcado para se livrar de vez do fumo, jogue fora cigarro, cinzeiro e isqueiro.

6 - Cada vez que sentir aquela vontade de fumar, tome um ou dois copos de água gelada, e mastigue o cravo, a canela, o gengibre ou a cenoura para “distrair” o organismo.

7 - Realize exercícios de respiração: inspire profundamente, segure contando até cinco e solte o ar pela boca semi-aberta lentamente. Faça isso cinco vezes seguidas.

8 - Após as refeições, quando costuma ser grande o desejo de fumar, procure escovar os dentes para afastar essa vontade.

9 - Os exercícios físicos são grandes aliados de quem quer deixar o cigarro. Escolha alguma atividade física, mesmo que leve, e passe a praticá-la regularmente. Por exemplo, caminhar todos os dias por cerca de trinta minutos.

10 - Enfrente cada dia como se fosse o primeiro e siga em frente. Acredite na sua força de vontade.



Um estudo conduzido por pesquisadores de centros médicos europeus e asiáticos, realizado com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), analisou pessoas entre 22 e 64 anos, de 21 países, e constatou que os fumantes com idade inferior a 40 anos têm cinco vezes mais chances de sofrer um infarto.

A pesquisa, publicada na Revista Tobacco Control e na BBC Brasil, teve como objetivo avaliar problemas ligados ao coração que não levaram à morte, ocorridos entre 1985 e 1994. Para chegar a tal constatação, os pesquisadores analisaram 23 mil casos. Os resultados mostraram que, de cada cinco vítimas de doenças cardíacas com idade entre 35 e 39 anos, quatro eram fumantes.

Os homens viciados em cigarro nessa faixa etária apresentaram risco cinco vezes maior de ter um ataque cardíaco em comparação àqueles que não são fumantes. O estudo mostrou ainda que o fumo é responsável por 65% dos ataques cardíacos não fatais entre eles. Entre as mulheres da mesma faixa de idade, o cigarro faz 55% das vítimas de problemas no coração.

Já para os fumantes com idade entre 60 e 64 anos essa influência seria menor, uma vez que outros fatores de risco contribuem para os eventuais problemas cardíacos

(FONTES: http://coracaosaudavel.terra.com.br/fatores_integra.php?id=379
(Texto:Fonte http://coracaosaudavel.terra.com.br/qualidade_integra.php?id=382

2 comentários:

evanir disse...

Olá você é amiga da minha afilhada Cidinha? O amor pela Educação.
Estou seguindo seu blog convido a seguir os meus .
Um carinhoso beijo,Evanir
www.fonte-amor.zip.net
www.meudeusetudo.zip.net
www.evanir-garcia.zip.net

Rose Carrara disse...

Olá Celina

Muito obrigada pela visita.Gostei muito de seu blog.
De fato o tabagismo causa prejuízos importantes à saúde. E as pessoas continuam fumando sem se dar conta disso.É preciso conscientizar os fumantes que o cigarro causa um dano incalculável ao sistema nervoso central e com isso adevém não somente doenças físicas mas também de um comprometimento em fuinçoes intelectuais e sensoriais.
Estou me tornando sua seguidora e voltarei sempre.
Um abraço

Rose